Perdi o seu telefone

Hoje eu dei descarga no seu número. O fiz porque já não importa mais. Dei descarga em um guardanapo borrado que guardava no fundo de uma caneca de estimação no meu quarto, já que mesmo depois de apagá-lo da agenda do meu celular não conseguia coragem para me livrar do papel velho. Assisti a minha caligrafia infantil descendo molhado pelo vaso sanitário e me perguntei o motivo de ter guardado aquilo por tanto tempo. Não doeu.