Raiva

Eu detesto ficar triste, portanto estou sempre cheia de raiva. Tenho raiva quando fico frustrada, quando o que queria muito da errado e quando quebro a cara. Além disso, ainda por detestar a tristeza, acabo me alimentando também de inveja. Por que ele? Por que ela? Eu quero também, eu queria mais, eu mereço. Será?

Talvez os dois sentimentos (comparados com a tristeza, a frustração ou a decepção das quais corro) façam com que eu me sinta melhor a curto prazo, mas a longo prazo acaba comigo e com as pessoas próximas. Aprendi isso destro de casa e sempre desaprovei o comportamento, então como não consigo evitar repeti-lo?

Eu ainda não tinha visto esta atitude vinda da minha parte como um problema. Após quebrar a cara algumas vezes, só tinha cabeça para classificar como força e determinação. Mas isso não é verdade. Não há nada de errado em sentir, não há nada de grandioso em explodir.

Eu o amo, o compreendo agora, mas não quero cometer os mesmos erros. Não quero conquistar e perder as mesmas coisas, não quero ser igual tendo a chance de mudar.

Está na hora. Passou dela. É para ontem. Quero enfatizar minhas características positivas, ter a determinação de sempre e trabalhar melhor nisto, e não um sentimento de raiva travestido de força.

Deixemos a raiva para os lugares onde ela cabe e este é o primeiro passo de vários que ainda precisam ser dados. A época na qual eu precisava me defender com ira já passou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s