FFIX – Cap. 01 – Ato 01

O brilho do sol de fim de tarde que entrava pela janela refletia no branco do vestido longo, rodado e sem alças – deixando seu colo e um decote atraente a mostra – permitindo que visse no espelho o quanto havia crescido. A cintura era fina e os seios pequenos, porém o quadril era largo e bem arredondado, o corpo que geralmente uma dama de sua idade e classe social possuía, como as curvas de uma pêra. Rosto, nariz e lábios finos, delicados e discretos, dando espaço para os grandes olhos negros e profundos, cheios de conforto, mas sempre com um ar de que guardam um segredo travesso. Os cabelos – também pretos, escorridos, longos e pesados – estavam soltos, derramados em seus ombros como água escura, terminando um pouco antes de suas nádegas. Deixou o espelho de lado e caminhou até a janela, com sua cortina de veludo vermelho e pesado, sentindo a temperatura do piso de madeira em seus pés ainda descalços.

Era seu aniversário de 17 anos, a idade necessária para que assumisse um trono na terra de Gaia. Por mais que sua mãe ainda estivesse no poder era indispensável que naquela noite fosse realizada uma cerimônia oficial com sua coroação como princesa de Alexandria. Garnet respirou fundo, sentindo o cheiro de lavanda do jardim. Era primavera e, por mais que seu quarto estivesse em uma das torres altas do castelo, o aroma úmido das flores se espalhavam por todos os lados. O clima adorável e o cantar dos pássaros pousados no telhado costumava deixá-la sorrindo sem motivos, mas naquele dia não se sentia assim, estava tensa. Passara os últimos cinco anos de sua vida perguntando-se o que havia lá fora, o que tinha além daqueles muros e o que o mundo guardava para ela. Invejava os pássaros, mas essa seria sua chance, o local estaria cheio de pessoas importantes e a rainha havia até mesmo contratado um grupo teatral de outra cidade para entreter o público.

Calçando os sapatos e pendurando o seu colar no pescoço – uma grande pedra transparente, rara e desconhecida, segurada por um cordão longo de prata – retirou-se de seu quarto, apalpando a lateral da perna e sentindo o volume do que havia escondido por baixo de seu vestido, sua adaga. Caminhou tranquilamente e começou a descer as escadas em espiral que levavam ao salão central da residência, onde reis, príncipes, duques e outros membros da nobreza aguardavam ansiosos para recepcioná-la. Nas laterais da escada estavam General Beatrix e Capitão Steiner, as autoridades maiores da segurança real. Garnet levava um sorriso sereno no rosto e a Rainha Brahne, sua mãe, aguardava orgulhosa, sentada em seu grande trono no centro do cômodo. A autoridade maior do reino era gorducha e baixinha, usava um vestido longo e vermelho, com acessórios extravagantes e obviamente caros. Garnet beijou-lhe a face e observou enquanto a mãe pedia silêncio para começar o discurso, por mais que a partir de então só conseguisse pensar em sua tão próxima liberdade. Torcia para que tudo desse certo.

——————————————————-

Certo, eu quero explicar algumas coisas a respeito dessa postagem. Primeiro que essa história é uma releitura de um jogo de videogame, que eu sou particularmente apaixonada, chamado Final Fantasy IX. Em segundo lugar eu vou continuar contando, sempre que eu tiver afim, os acontecimentos dessa trama, que é longa e envolvente. Por último queria dedicar a postagem ao Geovanni, que ontem me fez lembrar dessa história adorável, mesmo que tenha sido sem querer. =) É isso, espero que gostem. Beijo.

3 comentários

  1. Ana Carolina (@carolrobaina) · setembro 17, 2011

    Ah como eu disse, eu não conheço a série, só sei de alguns personagens perdidos.
    Mas como sempre, sua narração envolvente e descrição da Garnet ficou linda.

    Vou continuar acompanhando para saber como termina. ^^

  2. Márcia Thiara (@marciathiara) · setembro 17, 2011

    Ow, eu gostei da narrativa, dos detalhes que descreviam a Garnet, da parte do som dos pássaros e como isso a fazia sorrir a toa.

    Ai ela decide fugir, talvez uma decisão já tomada a muito tempo e apenas esperando a hora certa pra se realizar, ou uma daquelas decisões tomadas num misto de impulso e adrenalina.

    Eu estava esperando que ela fugisse já nesse primeiro capitulo, mas você ter não feito isso já me faz ficar esperando o próximo capitulo dessa historia.
    Escolha sensata de divisão de fatos.

    Espero ansiosa o próximo capitulo, desejando que ela fuja e assim eu possa acompanhar ainda mais suas aventuras.

    bgs :*

  3. Dr. Gatão17 · setembro 19, 2011

    Ah eu tbm gostei muito, para quem conhece o jogo então, é uma ótima releitura, que venham os novos capitulos ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s